Uncanha: Visita Pastoral e Envio Apostólico das Famílias de Catequistas

De 12 a 17 de Outubro,  Paróquia do Sagrado Coração de Jesus de Uncanha recebeu Dom Diamantino Antunes em visita pastoral. De 13 a 16 de Outubro, foram visitadas as zonas pastorais situadas a norte, na fronteira com a diocese de Chipata, na Zâmbia. O Bispo de Tete celebrou a Eucaristia e administrou o Crisma nas zonas pastorais de Malowera (13 de Outubro), de Abero (14 de Outubro), Nhanseula (15 de Outubro) e Lunene (16 de Outubro). No dia 19 de Outubro reuniu-se com os animadores das Zonas Pastorias (Abusa) na Missão de Uncanha.

No Domingo, 17 de Outubro, durante a Santa Missa, Dom Diamantino Antunes, fez o envio missionário das 10 famílias de catequistas formadas no centro catequético de Uncanha ao longo do ano. Na sua homilia, inspirando-se no Evangelho exortou a todos, de modo particular aos casais catequistas formados no corrente ano, a serem servidores da Palavra de Deus e da Comunidade. Convidou-os a testemunhar a fé com a própria vida. Terminada a homilia, seguiu o rito da bênção e envio apostólico dos casais de catequistas com a entrega da Bíblia e do Crucifixo. As famílias de catequistas foram enviadas para as paróquias de Zumbo, Uncanha, Fingoè, Nkantha, Mange, Fonte Boa, Lifidzi e Chabwalo. Depois da acção de graças, Dom Diamantino fez a entrega dos diplomas de fim de curso.

Unhanha 4 Unhanha 2 Unhanha 3

Diocese de Tete de Luto pela morte do Padre Franco Gioda

Após doença prolongada faleceu esta madrugada o Padre Franco Gioda, Missionário da Consolata em Tete. Após doença prolongada havia viajado para Itália para um período de repouso e exames médicos. A sua situação foi-se agravando e um mal incurável, entretanto diagnosticado, acabaram por lhe arrancar a vida.

O Padre Franco foi um vivo retrato de amizade e sensibilidade pastoral em relação a todos.

Nasceu em Turim, Itália, em 1938. Sentindo o apelo à vida missionária, deixou o seminário diocesano e ingressou nos Missionários da Consolata onde foi ordenado sacerdote em 1963.  

Serviu com dedicação e amor muitas comunidade cristãs no Niassa, onde chegou em 1970. Trabalhou nas missões de Maiaca, Nipepe, Maúa, Marrupa, Cuamba e Mecanhelas. Serviu a Igreja com dedicação e paixão. Durante a guerra civil percorreu milhares de quilómetros de bicicleta para levar a Palavra de Deus, a Eucaristia e a consolação às comunidades cristãs dispersas.

Sofreu emboscadas, passou fome e sede, socorreu feridos, enterrou mortos. Não tinha medo, confiou e contou sempre com a protecção do Alto.

Em 2012, já com 74 anos de idade, aceitou acompanhar o Bispo Dom Inácio Saúre para Tete. O seu grande e corajoso coração missionário levou-o a visitar as comunidades cristãs abandonadas, da Marávia e do Zumbo.

Em 2014, com os Padres Jacinto e Eduardo abriu a Paróquia de Fingoè, vivendo de forma percária, abenegada e profundamente feliz. Dedicou-se com perícia pastoral e muito sacrifício à animação e criação de comunidades cristãs nas missões de Uncanha e de Zumbo.

Em 2018 fundou o Centro Catequético São Barnabé e São Paulo de Uncanha para a formação de catequistas, o seu sonho missionário que soube concretizar.

Em 2019 aceitou o desafio de ir trabalhar para a cidade de Tete. Restaurou a paróquia de São Paulo e transformou-a numa paróquia viva e missionária.

A pedido do Bispo de Tete, D. Diamantino Antunes, retomou a evangelização do norte do distrito de Changara. Fundou a paróquia de Matambo. Visitou todos os povoados à medida que, meticulosamente desenhava o mapa das estradas de missão que percorria e ia desbravando. Verdadeiro pioneiro abriu novas comunidades, verdadeiro apóstolo, formou catequistas. Deu-se totalmente até ao fim, sem medida. Ardia no seu coração o fogo da caridade e a paixão pela missão. Sempre disponível para tudo e para todos

Por onde passou continua a ser uma referência de bondade, fé e verdade. Que todos, ao confrontarmo-nos com o seu desaparecimento físico, nos  deixemos inspirar pela sua vida, a sua obra e essencialmente pelo seu vivo testemunho de fé, simplicidade, arrojo e bondade.

Em tudo amou e serviu. Viveu totalmente para Deus e para os outros. Um exemplo de caridade e amor ao próximo. Um percurso que viveu dizia "na cruz. Quando vivemos na cruz, nada mai importa"

Tendo cumprido sua missão ao lado dos seus, e contagiado todos com a luz da espiritualidade que dele emanava foi chamado a viver na glória do Senhor.

Seja-lhe dado, agora, participar da eternidade que lhe acendia um brilho no olhar e que o levava a dizer não temer a morte, pois esperava o Paraíso.

Assim seja.

Peregrinação da Imagem de Nossa Senhora pela Cidade de Tete

Numa organização da vigararia da cidade de Tete, no domingo, 10 de Outubro, a imagem de Nossa Senhora de Fátima percorreu as ruas da cidade de Tete aquém e além Zambeze numa procissão para agradecer à Virgem Santa Maria a protecção dada neste tempo de pandemia.

Durante o percurso, houve paragens nas oito paróquias da cidade de Tete e também no território da Paróquia de São João Bosco em Moatize. Cada pároco, acompanhado por um grupo de fiéis, estava à espera da imagem de Nossa Senhora e foi recitado um mistério do Terço. A oração e peregrinação teve início na Catedral de Tete às 13.30 e terminou às 17.30. O veículo com a imagem da Senhora de Fátima, percorreu um longo percurso tendo atravessado o bairro Sansão Muthemba (Paróquia de São Pedro), bairro Francisco Manyanga (Paróquia de São José), bairro Samora Machel (Paróquia de Canongola), Mpadue, atravessou a ponte nova para a outra margem do rio Zambeze, continuou ladeando o rio Revubwe até à ponte, atravessada essa, entrou na paróquia de Matema, percorrida a qual se entrou na recém-inaugurada paróquia de São Daniel Comboni de Chingodzi Norte, e por fim a paróquia de Matundo. Atravessou-se novamente o Zambeze pela ponte Samora Machel e a procissão dirigiu-se à paróquia de São Paulo, ultima etapa da peregrinação. Atravessando o centro da cidade a imagem de Nossa Senhora de Fátima regressou à Catedral de Tete. Nesta última paragem, decorreu um momento da oração pelos doentes e profissionais de saúde.

Houve por parte dos católicos de Tete uma boa adesão e uma boa organização nesta verdadeira manifestação de devoção à Virgem Santa Maria.

Procissão nossa Senhora 3 Procissão nossa Senhora 1  Procissão nossa Senhora 3

 

 

Moatize: Bispo de Tete Visita Nova Paróquia de São João Bosco

 

O Bispo de Tete, Dom Diamantino Antunes, visitou no Domingo dia 10 de Outubro a Paróquia de São João Bosco de Moatize. Esta nova paróquia foi criada este ano e desmembrada da Paróquia de São João Baptista de Moatize. A sede na paróquia está situada no Bairro 25 de Setembro e é composta por 4 comunidades urbanas - São Carlos Lwanga, São Vicente Paulo, São João Paulo e São Paulo - e por 6 comunidades rurais na localidade de Benga, na margem esquerda do rio Zambeze.

No passado dia dia 8 de Agosto o Bispo de Tete tinha dado posse em forma privada, por causa do confinamento, ao seu  primeiro pároco, o Padre Anton Grm, Salesiano. Desta vez o Bispo pode encontrar os fiéis católicos e celebrar a Santa Missa com a comunidade da sede e os representantes das restantes comunidades da paróquia. Foi num ambiente de festa que todos participaram de forma activa e consciente na Santa Missa. Antes da Missa o bispo abençoou a imagem do padroeiro da paróquia, São João Bosco. De facto a nova paróquia tem como padroeiro, São João Bosco, fundador dos padres Salesianos e das Irmãs Salesianas, os quais há muitos anos trabalham em Moatize no sector da pastoral e da educação. Dom Diamantino Antunes na homilia falou de Dom Bosco como pai e mestre dos jovens e agradeceu o trabalho realizado pelos seus filhos e filhas, Salesianos e Salesianas, em Moatize e na diocese de Tete a favor da educação e promoção da juventude.

Vila Ulongué- Angónia - Imagem de Nossa Senhora Peregrina

A Paróquia de Nossa Senhora das Graças de Vila Ulonguè associou-se neste Domingo, 3 de Outubro, a uma iniciativa que uniu todas as paróquias da Diocese de Tete: a peregrinação da imagem de Nossa Senhora no início do mês de Outubro, mês de Maria, pleas ruas das nossas vilas e cidades. Na paróquia de Vila Ulonguè foi celebrada a Missa animada pelos legionários com início às 07h00 e presidida pelo pároco, Padre José Alone. Em simultâneo, decorria a  elebração da palavra nas 5 novas zonas pastorais existentes no Município de Vila Úlongue. Finda missa, iniciou-se a procissão com a imagem de Nossa Senhora das Graças em caravana escoltados pela polícia municipal para a primeira zona com sede em frente da fábrica de farinha, onde os fiéis aguardavam. Chegados no local rezou-se o primeiro Mistério, em seguida o ofertório, comunhão, acção de graças e oficialização da nova zona. Seguindo a caravana para outra zona e o última zona pastoral viistada foi a zona de Matewere seguindo a estrada nacional em direcção à Lififdzi, no cruzamento para Mpenha. Depois da visita a esta zona rumou-se em direcção à Paróquia. A peregrinação terminou depois das duas da tarde.
Foi um momento ímpar na história da Paróquia. Em cada canto que passava a caravana, muita gente entre curiosos e admiradores que contemplava a  Nossa Mãe Maria com o Menino Jesus, deixando muitas graças nas artérias que pisava. Assim foi a procissão com a Mãe Maria em Vila Ulonguè.

ONDE ESTAMOS

Cúria Diocesana - Tete

Rua Pe. Domingos Ferrão, 81
Caixa Postal 218. TETE

Telefone fixo:+ 258 252 22017
e-mail: diocesedetete@gmail.com

Atendimento: de 2ª a 6ª feira, das 8 às 12h.

CONTACTE-NOS